CTG Brasil apresenta plano de ação de emergência

A CTG Brasil – concessionária que opera oito usinas hidrelétricas no Rio Paranapanema por meio da Rio Paranapanema Energia – realizou nesta terça-feira (26) um encontro para discutir o Plano de Ação de Emergência (PAE). O documento estabelece ações rápidas e eficazes a serem executadas pela empresa em situações que possam comprometer a segurança das barragens das usinas, como rupturas ou grandes inundações. O evento aconteceu no auditório da Usina Hidrelétrica Chavantes, com a participação de técnicos da CTG Brasil, representantes de 8 municípios e de órgãos municipais e da Defesa Civil.

De acordo com o gerente de Segurança de Barragens da CTG Brasil, Pedro Nunes, a iniciativa obedece a uma exigência legal para o setor elétrico brasileiro. A Lei nº 12.334/2010 trata da Política Nacional de Segurança de Barragens e elenca as ações emergenciais a serem adotadas pelas empresas antes e depois de acidentes.

“Elaborado de maneira preventiva, o PAE tem como objetivo preservar a segurança estrutural e operacional da barragem e minimizar os impactos às comunidades e ao meio ambiente em eventuais situações de risco, como grandes cheias, falhas operacionais e problemas estruturais na barragem que podem comprometer a segurança”, explica Pedro.

O evento realizado nesta semana é mais uma etapa da implantação do plano. No final de 2017 a CTG Brasil enviou uma cópia do PAE às prefeituras dos municípios circunvizinhos a seus empreendimentos. Assim, o encontro permitiu o esclarecimento de dúvidas e debates a respeito do papel de cada um nas ações emergenciais.

Responsáveis por elaborar o Plano de Contingência para aplicar em situações de emergência, as prefeituras devem utilizar o PAE no planejamento das mobilizações locais, que inclui identificar e mapear áreas de risco e realizar exercícios simulados. Também é importante que compartilhem o plano com as comunidades, que precisam ser orientadas sobre como devem proceder.

Para o capitão PM Eduardo Cesar Fernandes Filho, diretor do Núcleo de Gerenciamento de Emergências, órgão ligado ao Departamento Estadual de Defesa Civil, o encontro promovido pela CTG Brasil foi produtivo. “É importante essa preocupação da empresa em cumprir a legislação referente à segurança das barragens. Como representantes da Defesa Civil, nosso papel é traduzir de maneira simples as responsabilidades técnicas da empresa para a comunidade local, informando os procedimentos a serem adotados nas situações de riscos”, completa.

Segurança
A CTG Brasil realiza um intenso e permanente trabalho de controle e monitoramento das condições de segurança das barragens, a fim de identificar previamente qualquer comportamento irregular.

“Ressalto que a implantação do PAE é uma medida preventiva. As barragens das usinas hidrelétricas que operamos no Rio Paranapanema estão seguras. Para certificarmos isso, adotamos processos técnicos e de gestão criteriosos e bem definidos, com suporte de uma equipe capacitada, recursos tecnológicos adequados e em total conformidade com as diretrizes definidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica [Aneel]”, enfatiza Pedro.