CTG Brasil coloca 720 mil peixes no Paranapanema

Reservatórios de hidrelétricas do rio Paranapanema receberam 720 mil novos peixes, soltos pela CTG Brasil como parte de seu programa de manejo pesqueiro. O lote de pacus, piaparas, piaus-três-pintas, curimbatás e piaussu foi dividido em nove solturas, iniciadas no dia 1º de fevereiro e concluídas nesta quinta-feira (22).

Em março, os lagos das oito usinas operadas pela CTG Brasil no Paranapanema serão contemplados com mais 400 mil peixes de espécies nativas, totalizando 1,120 milhão de novos exemplares soltos no primeiro trimestre de 2018. A meta da companhia é colocar 1,5 milhão de peixes a cada ano nos reservatórios das hidrelétricas Jurumirim, Chavantes, Salto Grande, Canoas I e II, Capivara, Taquaruçu e Rosana.

“Cumprimos com essa meta anualmente no rio Paranapanema e em 2018 não será diferente”, afirma o gerente de Meio Ambiente da CTG Brasil, Rogério Marchetto. Ele explica que os peixes para repovoamento são produzidos na Estação de Piscicultura que a CTG Brasil mantém em Salto Grande (SP), “com espécies nativas de valor econômico e cultural para os moradores da Bacia do Paranapanema e visando à manutenção da biodiversidade do rio”.

Além das espécies utilizadas nas primeiras solturas do ano, Marchetto lembra que o programa utiliza também outras, como lambari, dourado e piracanjuba. Quanto aos locais de soltura, de acordo com o gerente, eles são selecionados pelas boas condições de abrigo e alimentação, e ainda facilitam a dispersão dos novos peixes pelo rio Paranapanema e afluentes, “contribuindo para o repovoamento e atendendo as necessidades das comunidades ribeirinhas e do turismo da pesca”.

“Sempre priorizamos as espécies nativas que são importantes para a localidade, com o foco na preservação dos peixes em cada região”, ressalta Marchetto, sobre as atividades de repovoamento realizadas pela CTG Brasil.