Espetáculo Splash alcança 3 mil pessoas

Em uma temporada de apresentações pela Bacia do Paranapanema, o espetáculo “Splash” alcançou mais de 3 mil pessoas em 16 cidades paulistas e paranaenses. Patrocinado via Lei Rouanet, pela Rio Paranapanema Energia – uma das empresas do Grupo CTG no Brasil –, o show multimídia encantou o público com números de circo, parkour, dança, teatro e música ao vivo.

Ao longo de dois meses a atração itinerou pela região aportando em municípios vizinhos das hidrelétricas operadas pela Rio Paranapanema Energia. Com o foco na conscientização sobre a importância da água para o planeta, as apresentações ocorreram aos finais de semana em espaços abertos, como praças e quadras, além de teatros, centros culturais, ginásios esportivos e escolas públicas, contemplando pessoas de toda a comunidade com ingressos distribuídos gratuitamente.

No Estado de São Paulo a atração cultural visitou as seguintes cidades: Angatuba, Paranapanema, Piraju, Avaré, Ipaussu, Bernardino de Campos, Itaí, Ourinhos, Chavantes, Ibirarema, Cândido Mota e Fartura. Já no lado paranaense foram alcançados Paranavaí, Ibiporã, Itambaracá e Andirá.

De acordo com Salete da Hora, diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade da CTG Brasil, a companhia participa da vida dos municípios próximos aos seus empreendimentos também por meio de projetos culturais e de educação ambiental, como o Splash, que patrocina visando contribuir com o desenvolvimento local. “Essa proximidade com as comunidades é muito importante para nós, e estamos felizes com os resultados desta temporada de apresentações”, diz.  

O idealizador e produtor do espetáculo, Ricardo Maia, destaca o apoio das prefeituras municipais, por meio das secretarias e departamentos de cultura e educação, como “fundamental para a realização com sucesso do Splash na região do Paranapanema”.  

Premiado

“Splash” foi indicado ao Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem 2018, na categoria de Melhor Espetáculo do Ano em Sustentabilidade. O espetáculo é realizado pelo Instituto Paulo Kobayashi, uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), e pela Ricardo Maia Produções Artísticas – com a produção da MennaBarreto Consultoria em Esporte e Cultura.